REcine 10 anos
  Impressões de Jurandyr Noronha
  Neorrealismo Italiano
  Guardar
  Mostra Informativa
  Destaques
  Mostra Competitiva
  Histórico da Revista REcine
  Revista REcine 2011
  Oficina de Vídeo
  Forum de Debates
  Palestra João Sócrates
  Homenagens
  Atrações Musicais
  Programação
  Créditos e Agradecimentos
  Edições Anteriores
  Siga-nos
  Contatos
   

 

 

RECINE 10 ANOS
     

A todo vapor! REcine completa dez anos homenageando a influência italiana no cinema brasileiro

Em 2002, ninguém imaginava que uma simples mostra de filmes no Arquivo Nacional seria, anos depois, um dos principais festivais de cinema do Brasil.

Por isso, o ano de 2011 é muito especial, são dez anos de REcine - Festival Internacional de Cinema de Arquivo, uma parceria de sucesso do Arquivo Nacional com a Rio de Cinema Produções Culturais.

O REcine surgiu com o objetivo de tornar as imagens das instituições de arquivo mais acessíveis aos pesquisadores, cineastas e ao público em geral, estimulando a reutilização desse material na produção de novos filmes, além de discutir temas ligados à conservação e guarda de imagens em movimento.

Em seu primeiro ano, em 2002, o REcine debateu a preservação de filmes e exibiu ao ar livre, no pátio interno do Arquivo Nacional, alguns dos primeiros filmes mudos brasileiros, verdadeiras raridades, com acompanhamento de piano ao vivo. No ano seguinte, a mostra cresceu, ganhou uma exposição e trouxe duas preciosidades para o público: Cortes da Censura Federal, a reunião de trechos censurados de filmes brasileiros no período de 1968 a 1983; e ABC da greve em versão restaurada, filme de Leon Hirszman sobre o movimento operário brasileiro, praticamente inédito no país. A primeira exposição do REcine contou com cartazes e fotos de filmes e documentos da Censura. As mesas de debates trataram da censura no cinema brasileiro e cineclubismo, e tiveram a presença de José Wilker, Vladimir Carvalho, Lúcia Murat, entre outros nomes.

O ano de 2004 foi emblemático, pois o REcine, com o tema Revoluções, se transformou num festival de cinema internacional, com cinco dias de duração, ganhou uma Mostra Competitiva, uma revista exclusiva e inaugurou a Oficina de Vídeo. Em 2005, o tema foi Televisão: uma história para ver de perto. Em 2006, chegou a vez das Vanguardas, que enlouqueceram o público com os filmes e experimentações dos gênios do cinema vanguardista mundial.

No ano seguinte, o REcine apresentou a fascinante relação entre jornalismo e cinema, com o título A imprensa no cinema. Em 2008, em homenagem aos 50 anos da conquista brasileira da Copa do Mundo de 1958, o festival usou e abusou do tema do futebol com Bola na tela: futebol, magia e paixão. A história do rádio no Brasil ocupou as telas, as mesas de debates e as páginas da Revista REcine no ano de 2009. E, finalmente, em 2010, a grandeza da música brasileira, fartamente registrada por cineastas das mais diversas nacionalidades, foi cantada em verso e prosa em Movimentos da música brasileira no cinema.

Viva Itália!

Para comemorar esses dez anos de existência, o REcine 2011 vai celebrar a presença italiana no cinema brasileiro e será uma das atividades programadas para o Momento Itália-Brasil, série de eventos culturais, econômicos, gastronômicos e esportivos promovida pelos governos brasileiro e italiano, que tem por finalidade estreitar os laços de amizade entre os dois países.

No total, serão exibidos 187 filmes que mostram a poderosa influência que os italianos exerceram sobre o nosso cinema, desde os primórdios até o Cinema Novo e na fundação da Companhia Cinematográfica Vera Cruz. Obviamente, não poderia faltar uma seleção de obras-primas dos mais renomados diretores italianos na programação do REcine.

Arquivo Nacional

Preservar, preservar, preservar! Esta palavra de ordem é dita várias vezes todos os dias no Arquivo Nacional, em suas sedes no Rio de Janeiro e no Distrito Federal. Mas a missão da instituição não é apenas guardar a memória documental do país, mas também facilitar ao grande público o acesso a um estupendo acervo de documentos, livros, manuscritos, fotos, filmes, mapas e muita história. Pesquisadores, estudantes e visitantes se encantam com a beleza do restaurado conjunto arquitetônico construído no século XIX e localizado na Praça da República, 173, no Centro do Rio de Janeiro, local onde até 1983 funcionava a Casa da Moeda do Brasil e que já foi cenário de filmes, novelas e outras produções audiovisuais.

Para divulgar e incentivar a pesquisa em seu acervo, o Arquivo Nacional promove vários eventos por ano nas áreas de ciências humanas e sociais, tais como congressos, seminários, exposições, concursos de monografias, cursos e o REcine. Consulte nosso site www.arquivonacional.gov.br e saiba mais sobre esse magnífico acervo e as atividades realizadas no maior arquivo público do país.


Todos os direitos reservados para Rio de Cinema - Desenvolvido por Pedro Erthal
Site melhor visualizado em 1024x768